Questões Mais Frequentes acerca de piolhos e lêndeas

Questões Mais Frequentes acerca de piolhos e lêndeas

Como surgem os piolhos?

Os piolhos existem há milhares de anos. Tal como qualquer inseto, adaptaram-se ao seu meio ambiente de modo a sobreviver. Nunca nos livraremos dos piolhos, embora possamos aprender a lidar melhor com eles.

As infestações de piolhos são um problema comum?

Sem dúvida. Qualquer indivíduo pode ser alvo de infestações, embora sejam mais comuns em crianças dos 4 aos 11 anos de idade, sobretudo do sexo feminino.

Os piolhos saltam de cabeça para cabeça?

Não. Os piolhos não possuem membros que permitam saltar, voar ou atravessar a roupa; apenas passam diretamente para outro indivíduo, de cabelo para cabelo, ou cabeça para cabeça. Ao pentear o cabelo a eletricidade estática poderá criar a ilusão de um piolho a saltar da cabeça.

O cabelo curto é menos propenso a infestações?

Não. Os piolhos vivem perfeitamente bem em cabelos com 1 cm; apenas será uma vantagem o facto de ser mais fácil inspecionar e tratar cabelos curtos.

Como saberei se alguém está infestado por piolhos?

Procurando um piolho adulto vivo; recomenda-se o uso de um pente próprio para essa deteção.

Os piolhos vivem em carpetes, roupas, chapéus e lençóis?

Não. Os piolhos raramente caem da cabeça. Necessitam de sangue para sobreviver. Alimentam-se 3 a 4 vezes por dia, pelo que sem sangue se deterioram em 6 horas num clima seco e em 24 horas em ambiente húmido. O choco do ovo requer calor, razão pela qual são depositados perto do couro cabeludo. Quanto mais afastados da cabeça menos probabilidades de sobrevivência possuem.

As infestações de piolhos são causadas pela falta de higiene pessoal ou doméstica?

Efetivamente não. Para os piolhos é indiferente que os cabelos estejam sujos ou limpos; uma vez que só sobrevivem alojados em cabeças humanas, a higiene da casa não tem qualquer relação.

O meu cão tem piolhos. Poderão ser-me transmitidos pelo meu cão?

Não. Os piolhos são parasitas exclusivamente humanos, não infestando gatos, cães ou outros animais. Sendo parasitas específicos dos humanos nunca poderão ser transmitidos por cães.